História > 4. Bispos , Sacerdotes, Religiosos e leigos.

4. BISPOS, SACERDOTES, RELIGIOSOS E LEIGOS...

DOM GERALDO FERNANDES BIJOS

D. Geraldo Fernandes, o primeiro bispo da nova Diocese de Londrina, assumiu em 17 de fevereiro de 1957. Em 1970, com a elevação da Diocese à Arquidiocese, passou a ser Arcebispo. Ficou 25 anos à frente da Igreja de Londrina, que organizou pela base. Seu primeiro colaborador, como Vigário Geral, foi o Padre Carlos Probst, palotino que organizou a Cúria e delimitou as novas paróquias que arduamente foram sendo criadas.
Premido pela falta de clero, D. Geraldo incentivou a vinda de religiosos para auxiliá-lo. Também buscou em Malta padres e seminaristas que, junto com os poucos padres seculares existentes, formaram o alicerce do clero diocesano de Londrina.
Quanto às religiosas, acolheu-as sempre e, ele mesmo, juntamente com Madre Leônia Milito, fundou uma congregação religiosa de direito diocesano em 19 de março de 1958, a Congregação das Missionárias de Santo Antonio Maria Claret, hoje de direito pontifício e espalhada pelos cinco continentes.
No início da década de 60, com a ajuda do Pe. Marconi Montezuma, começou a organizar a Rádio Alvorada para funcionar também como escola radiofônica de alfabetização e conscientização do homem do campo e, com os bispos de Maringá e Campo Mourão, fundou a Frente Agrária Paranaense para fazer frente às ligas camponesas criadas por Francisco Julião e ajudar na sindicalização dos lavradores.
Na primeira metade da mesma década, o aumento demográfico da região paralelamente ao desenvolvimento econômico, bem como a ampliação da estrutura diocesana, que já contava com 57 paróquias e grande número de capelas, levaram o bispo Dom Geraldo a pensar no desmembramento da Diocese de Londrina e a criação de uma nova Diocese em Apucarana. Secundando o desejo do prelado londrinense, as lideranças católicas e as autoridades de Apucarana encaminharam pedido neste mesmo sentido.
No estudo realizado, ficou decidido que 21 municípios da Diocese de Londrina, mais um da Diocese de Campo Mourão, com um total de 27 Paróquias, passariam para a nova circunscrição eclesiástica. A Santa Sé acolheu favoravelmente a proposta e o Papa Paulo VI, pela Bula “Múnus Apostolicum”,criou a Diocese de Apucarana em 23 de novembro de 1964.
Dom Geraldo foi diretor da Missão Japonesa e em seu tempo foi construído o Centro Pastoral Nipo-Brasileiro. Participou do Concílio Vaticano II (1962-1965) e construiu o Seminário Diocesano que ele denominou Paulo VI. Aplicou na Diocese a reforma litúrgica do Concílio e incentivou o cursilho, o TLC e o PAF, além do Encontro de Corações para Casais. Com a ajuda do Pe. Reinaldo Semprebom, primeiro Coordenador de Pastoral, foram criados os cursos de batismo e os de noivos (para pais, padrinhos e noivos, respectivamente). O laicato participou ativamente de todas essas iniciativas.
Terminou a construção da Catedral e inaugurou-a em dezembro de 1972.
No aspecto social, D. Geraldo incentivou os Vicentinos, criou as Damas de Caridade e apoiou a fundação da EPESMEL e da Casa do Bom Samaritano.
Além de suas atividades episcopais, D. Geraldo lecionou a disciplina de Direito Romano na UEL até sua aposentadoria e cedeu, generosamente, as dependências administrativas da Catedral para o funcionamento do Curso de Odontologia. Os problemas que afetaram a região na década de 60, como a crise da cafeicultura e a marcha da produção, contaram sempre com seu apoio e presença. Em seu episcopado foram grandes as transformações de Londrina e região. O primeiro bispo encontrou uma cidade ainda provinciana em 1957, com pouco mais de 100 mil habitantes e que, no final do seu episcopado, havia crescido extraordinariamente chegando a ser a segunda do Estado e a terceira do sul do Brasil. A Diocese transformou-se numa grande Arquidiocese, ocupando lugar de destaque entre as demais do país.

Usava com freqüência a Rádio Alvorada e por 12 anos sustentou na Televisão Coroados o programa semanal “A Voz do Pastor”.
Na década de 70 foi eleito vice-presidente da CNBB por um mandato e participou da II e III Conferências do Episcopado Latino Americano em Medellin e Puebla.
Conseguiu da Santa Sé a nomeação de dois bispos auxiliares. O primeiro foi D. Antonio Agostinho Marocchi e o segundo D. Luiz Colussi. Teve também como eficiente colaborador o Pe. Vitor Groppelli, que foi seu Vigário Geral e Coordenador de Pastoral, até o falecimento do Arcebispo em 29 de março de 1982.
Ficando vaga a Sede Metropolitana de Londrina, o Santo Padre João Paulo II, nomeou em 03 de abril de 1982 como Administrador Apostólico com faculdades de Bispo Residencial o Exmo. Senhor Dom Jaime Luiz Coelho, Arcebispo Metropolitano de Maringá o qual governou a Arquidiocese até a posse do novo Arcebispo Dom Geraldo Majella, Agnelo em 28 de outubro de 1983.

LOCALIZAÇÃO NO MAPA